Aves

12-02-2011 16:12

Objetivos

1) Compreender as relações evolutivas entre dinossauros e aves;

2) Analisar as características gerais das aves;

3) Estudar as adaptações das aves relacionadas à alimentação e aos seus hábitos de vida;

4) Estudar os tipos de pena, suas funções e os tipos de voo das aves;

5) Investigar a diversidade de espécies das aves;

6) Compreender a importância ecológica das aves.

Comentários

É fácil reconhecer uma ave moderna: ela certamente irá apresentar características visíveis como penas e bico. Mas essas estruturas não são sinônimos de aves: há milhões de anos existiram dinossauros emplumados e, quanto ao bico, animais como tartarugas também o possuem - embora seja um tipo diferente. Quanto ao voo, outros grupos de animais apresentam essa capacidade: o morcego, os insetos, e alguns répteis planadores. Esse fenômeno é denominado convergência adaptativa.


Por isso, professor, é importante estudar as características exclusivas das aves, ou seja, estruturas morfológicas, anatômicas e arranjos fisiológicos que apenas esses animais possuem. Para compreendê-las é necessário auxiliar os alunos a investigar a evolução das aves, pois as aves atuais passaram por milhões de anos de mutações adaptativas e de seleção natural.


Por exemplo, os ossos pneumáticos (ossos ocos) das aves apareceram pela primeira vez nos arcossauros. Isso confere às aves um esqueleto leve, que possibilita o voo. Juntamente com os sacos aéreos e o pulmão parabronquial, as aves desenvolveram um sistema de respiração unidirecional, no qual há um maior aproveitamento de oxigênio e, também possibilita uma endotermia mais eficaz que a dos mamíferos.


Nesta aula, os alunos irão descobrir essas e mais algumas características interessantes das aves, bem como irão estudar sua importância ecológica e diversidade de espécies. Certamente, os detalhes são muitos, apesar das explicações serem generalizadas, e pode ser preciso dividir esse tema em duas ou três partes.

 

Procedimentos

1) Antes de iniciar a aula, peça aos alunos a leitura do texto Dinossauros e aves. Em seguida, apresente o tema da aula e peça de maneira aleatória, para cada aluno ler um parágrafo - essa didática promove a atenção dos alunos focada na leitura.

2) Em seguida, discuta o texto com os alunos por alguns minutos e, depois, levante a seguinte questão: "Quem nasceu primeiro, o ovo ou a galinha?";. Lembre-se de que antes das aves aparecerem, os répteis conquistaram o ambiente terrestre e, que isso só foi possível graças a uma estrutura que propiciasse um meio líquido num ambiente seco: a solução foi o ovo com casca! Assim, podemos dizer que o ovo nasceu antes da galinha.

3) Professor, assim que achar conveniente, explique aos alunos que apesar de existirem várias espécies de aves, todas elas compartilham determinadas características, tais como:

a) Respiração pulmonar (pulmão parabronquial *)
b) Sistema digestório completo;
c) Circulação fechada, dupla e completa;
d) Coração com 4 cavidades;
e) Cloaca;
f) Glândula uropigiana *;
g) Fecundação interna e desenvolvimento direto;
h) Endotermia;
i) Ossos pneumáticos *;
j) Penas *;
l) Oviparidade;
m) sacos aéreos *;
n) cuidado parental.
* As estruturas marcadas com asterisco são exclusivas das aves modernas.

4) Agora, comente com seus alunos sobre a diversidade de bicos que as várias espécies de aves apresentam. Esclareça que essa grande variedade de morfologias de bico se deve aos diferentes hábitos alimentares das aves. É interessante, nesse ponto da aula, apresentar aos alunos, imagens de diferentes espécies de aves, onde se evidenciem seus bicos. Compare, por exemplo, a foto de um psitacídeo (papagaio, arara, cacatua) com a de um gavião.

5) Explique a relação das formas dos bicos dessas aves com seu respectivo hábito alimentar.

6) Em seguida, realize o mesmo procedimento utilizado acima, para explicar a variedade de formas nas patas das aves. Se desejar, utilize a imagem abaixo:

Reprodução

 

7) Professor, faça com que os alunos observem que, do lado direito, temos aves aquáticas e, do esquerdo, aves carnívoras. Mesmo assim, esses animais diferem em relação aos seus bicos e patas. Explique à classe que essas distinções se devem ao tipo de alimentação: o gavião (falconiforme) é um predador e, por isso, suas patas são "desenhadas" para agarrar e perfurar a presa; seu bico é adaptado para arrancar pequenos pedaços de carne; os olhos do gavião são grandes e sua visão é bem desenvolvida, para poder enxergar, de longe, sua caça. Já o urubu é uma ave que se alimenta de carniça - por isso, suas patas não têm a força das do falconiforme, nem tampouco o poder de perfuração; seus olhos são menores, e seu bico tem a morfologia perfeita para rasgar a carne de animais já mortos há algum tempo. O pato e a gaivota têm patas adaptadas ao ambiente aquático, embora o primeiro animal seja típico de água doce e o segundo de águas marinhas. A maior diferença entre essas duas aves está no bico: a gaivota é uma predadora de peixes marinhos, o que requer maior agressividade e capacidade de perfuração.

8) Em relação às penas das aves, é importante que os alunos identifiquem suas principais estruturas:
 

Reprodução

 

9) Lembre aos alunos que as aves apresentam diferentes tipos de penas e cada um deles possui uma função diferente. Então, mostre à classe uma imagem que ilustre os tipos de pena, como a sugestão abaixo:
 

Reprodução

 

1. Rêmiges primárias;
2. Coberteiras primárias maiores;
3. Alula;
4. Rêmiges secundárias;
5. Coberteiras secundárias maiores;
6. Coberteiras secundárias médias;
7. Coberteiras secundárias menores;
8. Rêmiges terciárias;
9. Escapulares.

10) Professor, explique aos alunos a relação entre a capacidade de voo de algumas aves e os músculos supracoracóideo e o grande peitoral. Esclareça que aves com grande capacidade voadora apresentam esses músculos muito desenvolvidos.


11) Encerre a aula com a seguinte curiosidade: o falcão peregrino é capaz de ultrapassar a velocidade de 200 Km/h em uma perseguição. Essa ave é o vertebrado terrestre mais rápido que existe! 

 

FONTE: http://educacao.uol.com.br/planos-aula/medio/biologia-aves.jhtm